• paiaia@radioconectados.com.br

EXCLUSIVO: “professor merece uma melancia no pescoço!”

EXCLUSIVO: “professor merece uma melancia no pescoço!”

Professor é alguém que faz repensar o lugar de todos nós no mundo.

Professor, eu o admiro profundamente e tenho uma grande estima pela sua pessoa e profissão.

Não posso deixar de citar professores queridos, que tive no Paiaiá, Nova Soure, BA: Edilzete, Márcia, Mércia, Ilma (querida), Idelma, Evani Cruz, dra. Kátia; Jiovan Matos, Valfredo, Eugênio, etc. Perdão se no momento esqueci alguns nomes.

Pessoas importantes na minha vida. Recebam meu abraço.

Mas, em Nova Soure, nem sempre os professores tiveram o carinho e respeito que merecem. Claro que o professor, assim como todos, tem direitos tem deveres.

Em Nova Soure há professores que foram punidos, por reividicar seus direitos, impedidos de exercer a sua profissão, vilipendiados, motivos de chacota.

Essa informação foi confirmada pelo presidente da APLB, José Domingos, em live com Igor Barreto, ao responder uma pergunta feita por mim. “Sim, já houve professores punidos. Eu mesmo fui impedido de entrar na escola em que eu dava aula”, afirmou José Domingos (link).

Tudo ocorreu por que, na época do então prefeito José Arivaldo Ferreira Soares, conhecido como Ari, os professores estavam reivindicando o aumento anual de 11,3% que o prefeito não repassou e não aceitava conversar com a classe.

Houve greve, paralisação e Justiça.

Segundo os professores, com os quais eu conversei, relataram que houve greve, protestos e após 14 dias “Ari resolveu não só resolveu repassar o aumento mas, de forma estranha (Lei de Responsabilidade Fiscal), conceder um aumento de 15,6%. Muito acima do que, nós professores, reivindicávamos”.

“Em 2011, terceiro ano do seu primeiro mandato, já havia muita insatisfação dos professores e nós começamos, de forma ferrenha, a exigir nossos direitos”, afirma o professor.

Os professores são categóricos em afirmar que o então gestor (Ari), era truculento, não havia diálogo com ele e não aceitava conversar com a APLB.

Segundo o professor, nas vezes em que participou das reuniões para discutir esse assunto, foram duas vezes apenas, ele não deixava o professor falar: “era tapa na mesa, gritos, etc”.

Após os professores ganharem uma ação na Justiça, ele proibiu que os professores esboçassem qualquer comemoração.

“Eu fui punido, fiquei em casa por trinta dias. Fui proibido de exercer minha profissão”, confirma um professor.

Os professores também confirmam a chacota vinda do ex-gestor de que “professor merece colocar uma melancia no pescoço”.

              (imagem de internet)

Os tempos vividos pelos professores em Nova Soure foram sombrios. Beirando ao autoritarismo Corenelista.

O mais irônico de tudo isso é que em tempos de campanha eleitoral, como temos uma memória curta, as redes sociais estão cheia de “feliz dia do professor” vinda de quem  os caçoaram.

Dizer que os professores merecem reconhecimento e carinho, é um clichê. Mas é um fato.

Feliz Dia do Professor.

Obs.: o espaço aqui (site) está aberto para que os citados no texto, exerçam seu direito de resposta.

Texto: Carlos Sílvio

 

Carlos Silvio

Deixe sua mensagem

WhatsApp WhatsApp